Vida após a morte: o que dizem a ciência e as religiões

Ainda que a ciência não possua explicações, as religiões se preocupam com esse assunto há séculos e trazem diferentes possibilidades.

Vida após a morte: o que dizem a ciência e as religiões
13/05/2021
Por: Funerária Araújo-Orsola

O que acontece depois da morte? Saiba o que dizem a ciência e as religiões a respeito da vida após a morte.

Uma das maiores dúvidas que existem sobre a humanidade, e até mesmo um mistério para ciência, a vida após a morte também é bastante debatida pelas religiões.

Você deseja saber como é a vida após a morte? Confira o que a ciência e as principais religiões dizem.

 

Vida após a morte na visão da ciência

Para a ciência ainda não há uma resposta clara e definitiva sobre o que acontece depois que falecemos. Contudo, muitos cientistas estudam os relatos de pacientes que passaram pela morte clínica e foram trazidos de volta (experiência de quase morte).

Até o momento, o que pode ser observado é a similaridade dos relatos, com elementos que se repetem, tais como:

  • Presença de uma luz branca e um túnel;

  • Sensação de estar fora do corpo;

  • Sensação de leveza;

  • Imagem de Deus ou do reencontro com parentes falecidos.

Apesar dos relatos, a medicina não acredita em experiência astral e nem mesmo em um mundo após a morte. Para os médicos, essas sensações podem ser explicadas pela falta de oxigenação no cérebro, a qual cria alucinações visuais e também sensoriais em pacientes à beira da morte.

Quando nos aproximamos do fim, nossos neurônios perdem a capacidade de reter carga elétrica, já que também morrem e descarregam uma sequência anormal capaz de gerar alucinações.

 

Relatos misteriosos sobre vida após a morte

Uma situação frequente entre esses pacientes e intrigante para os cientistas é que muitos relatam situações que aconteceram de fato, mas que eles não teriam como saber.

Muitos relatam o encontro com um ente querido que viria a falecer em pouco tempo. Ou que viram episódios que se passaram em outras salas do hospital (que ocorreram enquanto estavam mortos). 

Isso contraria a teoria de que as sensações sentidas na experiência de morte clínica seriam somente alucinações do cérebro prestes a morrer.

Assim sendo, os médicos ainda não podem determinar o que nos acontece na vida após a morte.

 

Artigos Relacionados

 

O que acontece depois da morte para as religiões

Ainda que a ciência não possua explicações, as religiões se preocupam com esse assunto há séculos e trazem explicações e possibilidades diferentes.

 

Catolicismo

O que ocorre no catolicismo após a morte abrange céu, inferno e purgatório e são as ações em vida que indicam qual será o destino de cada um. Sendo a alma única e eterna, para os católicos, ela não pode retornar para outros corpos e nem mesmo animais, excluindo assim a possibilidade de reencarnação, já que de acordo com a Bíblia acreditam na imortalidade e ressurreição, onde morremos uma vez e seremos julgados pelas ações em vida.

Caso o católico alcance o perdão para os pecados, irá para o céu, onde deverá viver em comunhão com Deus e os demais seres humanos. De outro modo, será condenado e enviado para o inferno.

 

Juízo final

Acredita-se também no juízo final, no qual algumas almas terão a chance de se purificarem. Aqueles que forem ao céu, ressuscitarão para a vida eterna. Os pecadores serão separados para eternidade após o juízo final.

 

Espiritismo

Para os espíritas, a morte não representa o fim, afinal, nosso espírito permanece vivo mesmo depois da morte do corpo físico, quando passamos a viver em um novo plano astral ou reencarnaremos em um novo corpo.

Aqueles que praticam o bem evoluem mais rápido e assim não precisam reencarnar diversas vezes (apenas se quiserem). Já quem pratica o mal, terá várias reencarnações como oportunidades de melhorar.

No espiritismo acredita-se na existência de Deus e na eternidade da alma, contudo, Deus não é considerado como um criador de pessoas boas ou más. Para os espíritas, Deus criou todos os espíritos como simples e ignorantes, sem discernimento do mal e do bem.

 

A evolução pela experiência

É através das experiências de vida que evoluímos. Assim, somos nós quem criamos céu e inferno. Os seres que vivem na Terra são considerados espíritos reencarnados que estão neste plano em busca de evolução, desse modo, a morte consiste na passagem da alma do mundo físico para o mundo espiritual.

Aqueles que já morreram, são desencarnados que têm a capacidade de se conectar a outros espíritos (sendo eles encarnados ou não), conforme a afinidade e sintonia dessas almas.

 

Judaísmo

Os judeus acreditam na sobrevivência da alma, porém não possuem relato definido sobre aquilo que ocorre depois do falecimento e nem mesmo se existe vida após a morte. Essa religião permite múltiplas interpretações, onde há correntes que acreditam na ressurreição da alma, enquanto outras creem na reencarnação.

Segundo a cabala, tradição mística judaica, a alma é imortal e antes do nascimento, nos comprometemos a enfrentar situações que podem trazer tristezas e dificuldades. São essas provações que contribuem para o aperfeiçoamento pessoal e quando falecemos, fazemos uma revisão de tudo o que vivemos e se conseguimos cumprir com o que nos comprometemos.

Os judeus acreditam em três tipos de almas que se acomodam em nossos corpos: nefesh, o mais “baixo”, ruach, o intermediário, que ocorre aos 12 ou 13 anos e, por fim, o neshama, mais elevado, que se aloja no nosso corpo aos 20 anos.

Ao morrer, o nesham demora uma semana para partir (e os familiares cobrem os espelhos da casa para evitar que a alma, ainda confusa, se choque ao visitar o local). O ruach demora 30 dias para deixar o corpo e o nefesh até um ano. Enquanto esses “pedaços” de alma ainda estiverem ligados ao corpo, não pode haver reencarnação. 

O entendimento da morte é determinado pela consciência da pessoa em vida, mas os familiares ajudam na hora da morte, contribuindo para que a alma seja elevada, justamente por isso, muitos judeus cantam a prece kadish em memória aos seus falecidos.

 

Evangélicos

Do mesmo modo que os católicos, os evangélicos acreditam também no juízo final, quando todas as almas serão julgadas e, então, Deus decidirá quem irá para o céu e para o inferno.

A diferença é que, para os evangélicos, após a morte, a alma começa uma grande viagem e a ressurreição apenas ocorrerá no dia em que Jesus voltar à Terra (Ressurreição dos Justos).

Aqueles que forem condenados terão uma chance nova de ressurreição, e aqueles que morreram sem Cristo terão um corpo especial e passarão a eternidade no lago de enxofre e fogo.

 

Batista

Há dois tipos de mortes: a física, quando ocorre a separação do corpo e da alma, e a espiritual, considerada como a separação da pessoa de Deus.

Para os batistas, depois da morte física, aqueles que confiam em Jesus terão como destino uma vida de paz e felicidade no Paraíso, e aqueles que sofreram a morte espiritual irão para o Inferno onde terão uma vida de dor, angústias e sofrimento.

 

Adventista

Os adventistas creem que os mortos dormirão até o momento da ressurreição. Nela, quem cumpriu o seu papel na Terra, terá a graça da vida eterna e o restante simplesmente desaparecerá.

 

Budismo

No budismo, acredita-se que após a morte o espírito retorna em outros corpos, descendo ou subindo da escala de seres vivos. Isto é, a depender da conduta em vida, o espírito reencarnará como um animal ou como um ser humano.

Esse ciclo repete-se até que o espírito se liberte do carma, que é uma lei de causa e efeito marcada pelas nossas ações. É possível reencarnar em diferentes reinos de acordo com o seu carma.

 

Islamismo

Para os islâmicos, Alá (Deus) criou o mundo e trará de volta à vida todos aqueles que morreram no último dia, quando a nova vida começará após o julgamento da avaliação divina.

O Islamismo crê que essa vida seja a preparação para uma outra existência (no céu ou no inferno). Quando morremos, o primeiro dia na eternidade se inicia e a alma fica guardada esperando pelo juízo final.

As almas desviadas por Satanás são destinadas ao Inferno. Já as almas que seguiram a mensagem de Alá e obedeceram às tradições dos profetas são enviadas ao Paraíso.

 

Candomblé

A religião brasileira de matriz africana, acredita que não há uma punição eterna e nem mesmo uma ideia preconcebida de céu e inferno.

No candomblé, as almas devem cumprir o seu destino na Terra. Caso esse objetivo não seja alcançado, elas vagarão entre o céu e a terra onde se tornarão seres eternos e conscientes.

Assim, a morte é considerada uma passagem para outra dimensão, onde ficaremos reunidos com outros espíritos, guias e orixás. 

 

Receba conteúdo em seu email - Orsola

 

Umbanda

Para essa religião, quando morremos, podemos ir para locais diferentes, pois o universo é composto por sete linhas que são regidas por orixás (entidades divinas).

A Umbanda também acredita na evolução do espírito e na reencarnação, onde a morte é considerada uma etapa evolutiva.

 

Cientologia

A religião relativamente nova e que possui seguidores como John Travolta, Juliette Lewis e Tom Cruise acredita que quando morremos, nosso thetan (espírito) acorda e sai em busca de um novo corpo.

Os thetans percorrem em volta das pessoas e ficam à espera de uma oportunidade para retornarem à vida.

Acredita-se que há 75 milhões de anos, existiam dezenas de planetas que eram governados como uma confederação por Xenu, um líder maligno que enviou bilhões de espíritos para a Terra. Desse modo, cada habitante da Terra hoje seria uma reencarnação desses extraterrestres, que são imortais e continuam reencarnando eternamente.

 

Protestantismo

Para os protestantes, a morte é somente uma passagem dessa vida para outra. Não acreditam na reencarnação, mas sim em céu e inferno. 

O julgamento depois da morte não será dado com base nas atitudes que a pessoa teve e sim na crença, amor e fé que teve em vida, ao Senhor, enquanto esteve na Terra.

 

Hinduísmo

Na Índia, quando a pessoa morre, seu corpo é levado até o Rio Ganges, onde é cremado. Como os hindus acreditam que a pessoa é a alma e não o corpo físico, depois da morte, creem que partem em rumo a outra dimensão, por isso, fazem festa e cantoria nos velórios.

No hinduísmo, todos estão incumidos de uma missão que deve ser cumprida ao longo dessa encarnação. Almas mais evoluídas voltam em altas castas, como filósofos e sacerdotes que são brâmanes. Guerreiros e políticos pertencem à casta dos xátrias e os menos evoluídos reencarnam como comerciante (casta dos vaishas) ou trabalhadores (casta dos shudras).

Caso a alma consiga se desapegar do mundo material e atingir um patamar elevado, não precisará mais reencarnar.

 

Opiniões diferentes

É impossível afirmar o que acontece exatamente na vida após a morte, visto que, a ciência e cada uma das principais religiões possuem opiniões diferentes.

O importante é escolhermos a explicação que nos pareça mais verdadeira e termos fé que uma melhor vida após a morte nos aguarda.

Para você o que acontece na vida após a morte? Deixe seu comentário!

Veja mais

O que é aposentadoria por idade

O que é aposentadoria por idade

11/06/2021
A aposentadoria por idade é um benefício que tem como intuito garantir proteção previdenciária... Continue lendo.
Entenda a aposentadoria especial

Entenda a aposentadoria especial

08/06/2021
Você sabe o que é aposentadoria especial?Neste conteúdo explicaremos o que é o benefício, quem... Continue lendo.
Terapia pós-óbito: quando devo procurar

Terapia pós-óbito: quando devo procurar

31/05/2021
Saiba quando procurar pela terapia pós-óbito.Passar pela perda de um familiar é muito doloroso,... Continue lendo.

Como proceder em caso de Falecimento?

Saiba quais procedimentos tomar e quais os documentos providenciar.