Morte e religião: como o fato é visto em diferentes doutrinas

Cada religião tem um olhar diferente em relação à perda de um ente querido.

Morte e religião: como o fato é visto em diferentes doutrinas
04/11/2020
Por: Funerária Araújo-Orsola

Inegavelmente, a morte é a única certeza que podemos ter da vida, apesar de representar uma mistura de sentimentos indescritíveis.

 Contudo, os conceitos morte e religião têm interpretações diferentes ao redor do mundo, devido à existência de diversas culturas e doutrinas e pelo fato de cada uma delas entender o fato de uma maneira diferente.

 

 

Morte e religião: quais as crenças associadas ao fim da vida

 Para muitos, a morte significa somente o fim da vida. Algumas crenças afirmam que existe ressurreição, enquanto outras acreditam que é possível voltar após a morte em outras vidas ou formas. Ou seja, cada religião tem um olhar diferente em relação à perda de um ente querido.

 Veja a seguir, quais são as crenças apresentadas em relação aos conceitos de morte e religião, pelo catolicismo, evangélicos, espiritismo, budismo, candomblé, protestantismo, judaísmo, islamismo.

 

Catolicismo

 Para os católicos, morrer significa encontrar a passagem para a eternidade. A vida é transformada e não realmente tirada, sendo cada pessoa julgada pelos seus atos em vida: quando perdoada, alcança o céu. Ao ser tocada por Deus irá ressuscitar para a vida eterna. No entanto, caso seja condenada, a pessoa vai para o inferno.

 Ainda de acordo com os conceitos de morte e religião, no catolicismo acredita-se que algumas almas devem ser limpas e purificadas por meio de uma experiência de sua existência, passando então pelo purgatório.

 Os católicos não creem na reencarnação, já que acreditam no céu, purgatório e inferno. Sendo alma e corpo uma coisa só, com somente três destinos, onde apenas no céu se conquista a eternidade.

 

Evangélicos

 Já para os evangélicos a morte consiste em um fenômeno natural, que ocorre apenas uma vez, e acredita-se que o corpo é separado do espírito, isto é, o que é matéria retorna ao pó, e o espírito retorna ao Senhor.

 Para os cristãos evangélicos, ainda que a morte de um ente querido seja um momento doloroso, isso não significa a perda, e sim ganhar uma nova vida no céu, sem sofrimentos.

 

Receba conteúdo em seu email - Orsola  

 

Espiritismo

 Os espíritas acreditam na reencarnação, que viemos de um plano espiritual e para ele voltaremos. Para essa doutrina a morte não existe, é somente uma passagem para a verdadeira vida, como um passaporte que nos leva para encarnar em outro corpo, isto é, a volta do espírito para outra vida, em uma nova história e contexto, permitindo assim a evolução.

 De acordo com o Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, a reencarnação é necessária para seguir adiante no caminho da evolução. Onde as pessoas boas evoluem rapidamente se aproximando do criador, e outras evoluem mais devagar por não praticarem o bem, recebendo a oportunidade de melhorarem em cada reencarnação.

 No espiritismo, acredita-se que a consciência seja eterna, e a morte consiste na volta da alma para o plano espiritual, onde ficará até que esteja preparada para retornar em uma nova encarnação.

 

Budismo

 Assim como os espíritas, os adeptos do budismo acreditam na reencarnação, creem que o espírito retorna em outro corpo após a morte e são as ações em vida que determinam em que escala evolutiva você voltará. Para Buda, a morte e também a reencarnação podem ser comparadas ao ciclo de repouso, onde dormimos, sonhamos e então acordamos.

 Na relação entre morte e religião da crença budista , a reencarnação se repete até que o espírito consiga se libertar do carma, que é a lei de causas e efeitos do que fazemos. Além disso, é necessário desenvolver o desapego de todas as coisas materiais, purificar os pensamentos, praticar o bem e evitar o mal para então alcançar a libertação e plenitude.

 

Candomblé

 O candomblé é uma religião de matriz africana que crê na continuidade da vida através de ori (uma força vital e imortal), sendo essa a parte eterna de um ser.

 Os praticantes do candomblé acreditam que a morte não seja o fim e sim uma mudança de plano de existência e de estado, no qual ao morrer, o espírito se dirige a outra dimensão, unindo-se a outros espíritos, orixás e guias.

 Além disso, uma interessante característica dessa religião é que, no candomblé, não é permitida a cremação do corpo. Este deve ser enterrado, visto que, retornar à terra permite a realização completa do ciclo da vida.

 

Protestantismo

 Para os protestantes a morte é apenas uma passagem para a vida em comunhão com o Senhor, até que aconteça a ressurreição do corpo.

 Existe a crença em céu e inferno, porém diferentemente dos católicos, o julgamento acontece pelo amor e pela fé da pessoa em Deus, isto é, o julgamento não ocorre pelas atitudes em vida.

 

Artigos Relacionados

 

Judaísmo

 A relação morte e religião é vista com grande naturalidade para o judaísmo, pois para essa doutrina, a alma é eterna, e a preocupação real é com a vida. A morte significa somente o fim do corpo.

 Além disso, os judeus acreditam que a morte terá influência do que fizemos em vida, e aqueles que ficam é que sofrem os efeitos das ações realizadas por quem partiu.

 Assim como no candomblé, não é permitida a cremação do corpo, e uma curiosidade da religião é que todo o preparativo do enterro é realizado pela comunidade. Os voluntários é que cuidam de todo o processo para aliviar a dor da família.

 

Islamismo

 No Islamismo, acredita-se que a morte consiste na separação da alma e do corpo, sendo esta a passagem para a vida eterna. 

 Assim como os católicos, os muçulmanos também acreditam em céu, inferno e juízo final (quando Alá trará os mortos à vida). Além disso, não é permitida a cremação e para o islamismo, após a morte, a alma irá aguardar o dia da ressurreição para então ser julgada por Alá.

 

Diversidade brasileira

 No Brasil temos uma diversidade de religiões, contudo, há predominância da religião cristã, a qual, normalmente, conta com enterro ou a cremação do corpo, com velórios que podem durar até 48 horas, com a realização de cerimônias com orações, flores e velas.

 Os sentimentos diante da morte variam, mas de acordo com a religião cristã, predominante no país, estes costumam ser de paz e tranquilidade, além da dor e saudade diante da despedida.

 

Como você vê a relação morte e religião? Qual é a forma mais comum de lidar com o fim de um ciclo natural? Compartilhe conosco sua opinião, deixando um comentário.

Como proceder em caso de Falecimento?

Saiba quais procedimentos tomar e quais os documentos providenciar.