12 dicas para sair das dívidas

Mantenha o controle das finanças e reconquiste sua liberdade orçamentária.

12 dicas para sair das dividas
11/03/2021
Por: Funerária Araújo-Orsola

Como sair das dívidas? Muitas pessoas se perguntam isso e não sabem como lidar com a situação para solucionar os problemas financeiros.

Além da angústia, os débitos tendem a acumular, do mesmo modo que os juros. Mas saiba que, com dedicação e um planejamento financeiro, você pode se livrar das pendências.

Veja a seguir como sair das dívidas, manter o controle das finanças e reconquistar sua liberdade orçamentária.

 

1. Liste tudo para sair das dívidas

Para entender como sair das dívidas, o primeiro passo é saber qual é, realmente, a situação das suas finanças. Para isso, você deve listar todos os débitos que possui, até mesmo os menores.

Para definir a ordem de importância para quitação dos débitos, é importante saber quanto exatamente está devendo, para quem e há quanto tempo.

Também é essencial listar as empresas com as quais você pode entrar em contato para propor acordos.

 

2. Tente renegociações

Após listar todos os débitos, é o momento de agir e contatar os credores para propor a renegociação das dívidas.

Do mesmo modo que você possui interesse em pagar, as empresas também desejam receber, portanto, prepare uma proposta levando em consideração a quantia que você pode dispor para quitar o que está devendo.

Às vezes, é vantajoso vender algo para quitar o débito à vista, caso haja desconto no valor total.

 

3. Priorize os débitos com juros mais altos

Para quem precisa sair das dívidas, outro importante passo é dar prioridade aos débitos com juros mais altos. Caso esteja devendo no cartão de crédito ou no cheque especial, dê atenção primeiro à quitação desses débitos, pois são os que possuem os juros mais altos do mercado.

Dependendo das circunstâncias, vale a pena contratar um empréstimo com taxas favoráveis para quitar as dívidas mais altas. 

 

4. Anote todas as entradas e saídas

Para se livrar das dívidas, transforme o controle financeiro em um hábito, registrando todas as entradas e saídas do orçamento. Desse modo, é possível identificar quanto está gastando e também quais são as principais despesas.

É possível fazer o gerenciamento financeiro por meio de planilhas, aplicativos e até mesmo em um simples caderno. Qualquer que seja o método escolhido, o importante é registrar até os menores gastos, detalhando valores e categorias nas quais a receita e/ou despesa está incluída. Assim, é mais fácil identificar se você está gastando com coisas que são realmente importantes.

 

 

Artigos Relacionados

 

 

5. Envolva os familiares

Sair das dívidas pode ser complicado, por isso o ideal é que toda a família esteja inserida no planejamento. Para conquistar a liberdade financeira, todos devem participar, controlando os gastos e consumindo de maneira consciente.

Quitar os débitos pode exigir certos sacrifícios, por isso é importante que todos saibam qual é a situação financeira real e quais gastos devem ser cortados ou reduzidos.

Quando a família toda compartilha o mesmo objetivo, torna-se mais fácil adotar novos hábitos.

 

6. Não contraia novas dívidas

Para sair do vermelho de vez, é importante organizar as finanças de maneira a evitar novos débitos e, para isso, é necessário mudar os hábitos de consumo, vivendo conforme a renda e evitando gastar mais do que se recebe, para não acabar com saldo negativo.

Para lidar de maneira saudável com o dinheiro, é importante adequar-se à sua realidade financeira e fazer adaptações com o intuito de cortar os gastos.

 

7. Defina metas de gastos

Para evitar novas dívidas e manter o controle financeiro, é importante também cortar os custos, ainda que sejam contas de consumo, como gás, água e luz. Estas podem ser reduzidas com a adoção de algumas simples mudanças de hábitos.

O ideal é usar o planejamento a seu favor, definindo metas de gastos antes mesmo do mês iniciar. Comece pelas despesas fixas e essenciais, para garantir que a renda esteja sendo usando com as categorias de prioridade para sua família.

Além disso, é necessário acompanhar os gastos domésticos durante o mês, para equilibrar o orçamento. Caso tenha extrapolado os custos em alguma área, tente compensar reduzindo em outra.

Receba conteúdo em seu email - Orsola

 

8. Organize o orçamento

O planejamento financeiro exige organização, e é justamente o orçamento desorganizado que causa a maioria dos gastos em excesso. Quando não se sabe exatamente quanto entra e quanto sai, é fácil extrapolar com as despesas. 

Então, dedique um tempo para organizar todo o orçamento (pessoal e doméstico). 

Para organização do orçamento é importante saber claramente todos os gastos e receitas que recebe ao longo do mês, assim como, ter em dia os vencimentos das contas, para não sofrer com juros por atraso.

 

9. Corte despesas desnecessárias

Elimine gastos supérfluos, corte despesas desnecessárias para manter o orçamento equilibrado e fazer com que sobre dinheiro para pagar os débitos e, posteriormente, para fazer investimentos.

Pode até parecer um sacrifício, mas rever os gastos e analisar o seu orçamento possibilita identificar quais são as despesas que não fazem muita diferença para você.

Desse modo, você pode evitar taxas, planos de assinatura com serviços que não usa muito e substituir algumas atividades por opções gratuitas ou que sejam mais econômicas.

 

10. Busque uma renda extra

Além de cortar gastos, também é essencial buscar opções de renda extra para complementar a receita e sair das dívidas.

Existem várias opções: fazer artesanato para vender, dar aula de algum instrumento que saiba, cozinhar para fora, ou até mesmo vender alguns itens que não são mais usados, como roupas e outros objetos (é importante que estes estejam em bom estado de conservação).

Também há outras formas, como se tornar motorista de aplicativo e revender produtos na internet. Analise suas habilidades e tempo disponível e busque uma atividade que seja viável para você.

 

11. Pesquise antes de comprar

Antes de realizar uma compra, faça uma pesquisa e compare os preços. Esse cuidado deve ser tomado não apenas em lojas online, como também em lojas físicas, e garante que você economize nos gastos antes de comprar a primeira opção que pode ser a mais cara.

 

12. Faça uma autoavaliação

Para finalizar, é importante fazer uma autoavaliação a fim de mudar a sua relação com o dinheiro. Procure entender o que motiva os seus gastos, por que eles não condizem com sua realidade ou se faz compras por impulso. Desta forma, é possível mudar o seu comportamento, evitar hábitos nocivos e não cair mais no endividamento, para sair das dívidas por completo.

Caso identifique alguma compulsão, o indicado é buscar ajuda para tratar o problema pela raiz.

A educação financeira requer estudo e dedicação, mas certamente garante maior qualidade de vida para você e sua família.

Quer saber mais sobre o assunto, ficou com alguma dúvida ou tem alguma dica para sair das dívidas que não tenha sido mencionada neste artigo? Compartilhe conosco deixando seu comentário. Você pode ajudar outras pessoas!

 

Veja mais

Vida após a morte: o que dizem a ciência e as religiões

Vida após a morte: o que dizem a ciência e as religiões

10/05/2021
O que acontece depois da morte? Saiba o que dizem a ciência e as religiões a respeito da vida... Continue lendo.
14 doenças que têm facilidades para ter benefício do INSS

14 doenças que têm facilidades para ter benefício do INSS

05/05/2021
Você sabe quais são as doenças que têm facilidades para ter benefício do INSS (Instituto... Continue lendo.
O que é auxílio-doença

O que é auxílio-doença

26/04/2021
Auxílio-doença é um benefício previdenciário pago pelo governo por meio do Instituto Nacional... Continue lendo.

Como proceder em caso de Falecimento?

Saiba quais procedimentos tomar e quais os documentos providenciar.