Coronavírus: como proceder com consulta médica na quarentena

Quando comparecer ou reagendar?

Coronavirus como proceder com consulta medica na quarentena
08/06/2020
Por: Funerária Araújo-Orsola

Com a pandemia do novo coronavírus e o isolamento social adotado, algumas pessoas ficam sem saber como proceder em relação à consulta médica na quarentena, principalmente se esta já estiver agendada. 

Mesmo com a imposição do isolamento, as pessoas devem buscar ter uma rotina o mais próximo do normal. Mas, como fica a situação para aqueles que já possuem consultas marcadas ou necessitam de acompanhamento médico?

Essas dúvidas, assim como a ansiedade e o desconforto, são comuns, por isso confira quais são as medidas a serem adotadas.

 

Evite aglomerações e lugares fechados

De acordo com o Ministério da Saúde, o primordial é que as pessoas sigam as recomendações de higiene estabelecidas e evitem a todo custo lugares fechados e aglomerações.

Portanto, caso não seja uma emergência ou tratamento de doença crônica o ideal é continuar em casa e manter o isolamento social, remarcando a consulta para depois.

 

Receba conteúdo em seu e-mail - Orsola

 

Pacientes com doenças crônicas não devem parar o tratamento

Contudo, segundo especialistas na área da saúde, pessoas que sofrem de doenças crônicas e doenças mais graves não devem parar o tratamento, sendo necessário que continuem comparecendo à consulta médica na quarentena.

Os tratamentos que não podem ser adiados e nem mesmo interrompidos, são:

  • Atendimentos relacionados ao pré-natal, parto e puerpério;

  • Doentes crônicos;

  • Tratamentos continuados;

  • Revisões pós-operatórias;

  • Diagnóstico e terapias em oncologia;

  • Psiquiatria e psicologia.

Ainda de acordo com a Secretária Estadual de Saúde, procedimentos e cirurgias não prorrogáveis devem continuar sendo realizados, como por exemplo: 

  • Casos de biópsia guiada por ultrassonografia;

  • Tomografia computadorizada;

  • Ressonância magnética. 

Nesses casos são os exames em pacientes oncológicos, imunocomprometidos e até mesmo emergências, que devem ser mantidos, pois são tratamentos que, se não realizados, podem colocar em risco a vida do paciente.

Desse modo, tanto os hospitais, como também a equipe médica, devem seguir procedimentos para evitar a aglomeração e os riscos de contaminação.

 

Pacientes idosos e do grupo de risco devem ser priorizados

As equipes médicas devem priorizar idosos e pacientes dos grupos de risco nos atendimentos. Essa é uma das medidas estabelecidas que visam diminuir o tempo perdido nas filas de espera e também nos consultórios médicos.

Assim também é possível diminuir a exposição à contaminação do vírus para idosos e pacientes do grupo de risco.

 

Artigos Relacionados

 

Pacientes fora do grupo de risco devem remarcar a consulta

O indicado é que pacientes fora dos grupos de risco, assim como aqueles que iriam fazer checkups de rotina, remarquem a consulta para o próximo semestre. A mesma orientação serve para outras consultas de rotina, como por exemplo: nutricionistas, dentistas e outras especialidades médicas.

Em muitos estados, inclusive, houve a adoção da suspensão temporária de exames, cirurgias eletivas e também consultas ambulatoriais.  Pois, estes não configuram urgência ou risco de morte, e, portanto, podem ser remarcados e adiados.

Sobretudo, a suspensão de exames e procedimentos que não configuram casos de urgência ou risco (eletivos) se dá devido a dois motivos primordiais: em primeiro lugar, é necessária a realização da suspensão de tais procedimentos para poupar os leitos que devem atender pacientes com coronavírus.

Além disso, essas medidas também são adotadas para evitar a circulação e contaminação do vírus nas unidades de saúde.

 

Videoconferência

Devido à quarentena, alguns profissionais de saúde têm adotado a videoconferência como alternativa eficiente para atender os seus pacientes e realizar consultas online.

Desse modo, procedimentos da telemedicina assim como consultas à distância estão sendo realizados principalmente para pacientes do grupo de risco e também os idosos.

Essas consultas e assistências remotas podem ser realizadas por meio de chamadas de vídeo com ferramentas como: WhatsApp, Skype e Zoom.  

Certamente, estes atendimentos médicos são muito importantes, pois, permitem o atendimento pré-clínico, consultas, suporte assistencial, monitoramento e até mesmo o diagnóstico, tanto no Sistema Único de Saúde (SUS) quanto na rede privada.

Desse modo, o isolamento social pode ser mantido ao mesmo tempo em que a circulação das pessoas em hospitais e consultórios é reduzida, contribuindo para evitar a aglomeração sem que haja prejuízos para sua saúde.

 

Como você tem procedido em relação à consulta médica na quarentena? Tem comparecido ou está reagendando? Compartilhe conosco a experiência deixando seu comentário!

 

Como proceder em caso de Falecimento?

Saiba quais procedimentos tomar e quais os documentos providenciar.